sábado, 15 de maio de 2010

Em uma quinta série

.
Hoje, às 13 horas e cinquenta minutos iniciou meu estágio do ensino fundamental. Hoje, apartir das treze horas e cinquenta minutos eu comecei seriamente a questionar a viabilidade de ganhar a vida como professora.
Desde que voltei, fico numa gangorra profissional, horas quero mesmo é ser publicitária, outras quero mais é ser professora, ensinar arte numa escola por ai, e viver a felicidade residente nas cidades de porte médio. Mentira, adoro mesmo é as cidades pequenas, quanto menor, melhor.
Mas, apesar de adorar ensinar, de me realizar lá na frente, uma quinta série não é pra qualquer um.

Hoje eu entendi o mundo. Dei valor à minha irmã, afinal só uma heroína pode conseguir isso e ainda por cima me incentivar a tentar. Dei valor à todas as campanhas salariais dos professores, dei valor aos meus professores (não os da faculdade, que esses bem tinham que passar um ano dando aula naquela quinta série pra aprender sobre didática, preparar aula, etc). Hoje dei valor, ao ministério da educação, ao pde, ao livro didático.

E era só estágio de observação.
O pega pra capar é na próxima semana.

No final do meu relatório, tinha lá... Possiveis atividades para a próxima aula, dois pontos, e eu completei: largar a faculdade, leitura dramática, suicídio, confecção de máscaras de teatro, ser caixa do supermercado, improvisação cênica, me dedicar de corpo e alma no estágio da publicidade.

Poizé, ano de estágios pra todos os lados, aliás, o blog foi mais que divã, mais que um meio de conhecer gente talentosa, foi a porta pro estágio da publicidade.
Nunca pensei tão seriamente em conhecer alguém aqui do blog como pensava hoje enquanto observava aqueles adolescentes infernizarem a vida do pobre professor regente. Só dava eu querendo agradecer o Chico.

Eu sei que vai dar tudo certo, eu sei que posso rapidamente me adaptar e tenho certeza também que seria uma professora supimpa, xuxubeleza, e que depois de algum tempo, aquela cena que acredite, era a exata mistura de uma cena de guerra com um hospício e uma leve pitada de puteiro (sim era apenas uma quinta série) vai se tornar menos assustadora, até que um dia, vou me acostumar que posso facinho até sentir falta.

Mas hoje,
Especialmente, às 15:30, quando saí daquela sala, eu fiquei muito, mas muito assustada mesmo.
Eu só pensava: Ainda bem, ainda bem mesmo, que tenho a publicidade. Ser professora é alternativa. Aff. Respirei de novo.


Só mais uma coisinha, essa semana, tire um tempinho, passe no boticário e compre um perfume beeem caro, passe na escola do seu filho, sobrinho, priminha, filho do namorado, visinha estridente etc, e dê o perfume ao professor desta coisinha fofa. Porque sério mesmo, professor merece! Professor, não é qualquer um não.

12 comentários:

Daiane disse...

tira da lista de atividades caixa de supermercado pode ter certeza não é o que parece e o que é sempre é pior ... depois que tive a experiencia concerteza é estressante e monótono.

Que ano em Maris .. quanta coisa ... eu estou fazendo letras/literatura/ingles licenciatura nunca na minha vida pensei em fazer um curso como esse e muito menos ser ou pensar em ser professora ironia do destino estou eu fazendo esse curso e até gostando da coisa ... mas obviamente não é o que quero. Continuo porque me entusiasmei e acho que vai me ajudar muito no futuro eu acho né rsrs.

Queria ter começado outro curso ao mesmo tempo ainda estou me remoendo com isso ... e agora que li seu texto acho que vou me agilizar porque quando chegar a hora do meu estagio se eu me assustar poderei dar um suspiro de alivio como o seu aff.


[]s

Luna Sanchez disse...

Senti a dor, daqui...força e fé, moça, que fácil não deve ser, mesmo.

Beijo.

ℓυηα

wcastanheira disse...

Professores verdadeiros são de um imennsurável vocação, viu? Estes(a) mestres q tanto impulsionam o mundo pelo menos aqui no RS são muito, mas muito desvalorizados lecionam por pura vocação, parabéns à vc professora então merece bjos, bjos e bjossssssssssss

O Profeta disse...

Hoje ofereci as cores da minha paleta
A uma amiga na sua dor
Ouvi seu choro ao meu ouvido
No fatalismo do desamor

Hoje o sono acordou-me
A nostalgia agitou suas asas cinzentas
Esqueci no acordar o ultimo abraço
E contei as nuvens que eram tantas


Doce beijo

Denise disse...

Não sei se dou risada ou se choro.
Fiz normal......e artes..advinha se não passei por isso já rsrsr

ai ai ai

afagos

Atitude: substantivo feminino. disse...

Meu marido é professor.
Meu conselho: continue na sua linha de fazer por hobbie. Faça por prazer, porque senão perderá a graça. Com certeza vc fará muito melhor se não precisar disso para viver.
A educação no Brasil está perdida! Os pais não educam e querem que a escola resolva o problema - detalhe: sem traumas para o filho querido.
Amore,
siga o magistério. mas nunca dependa dele.
Kisses,
Jou.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Maris, a gente não imagina essa loucura. Pensar que são o futuro nosso! Alguma coisa tem que acontecer para que isso seja melhorado.
Louvor aos professores!
Beijos magistéricos.
Manoel.

Marina disse...

Primeira vez que visito aqui, adorei o blog... É lindo, e você escreve muito bem!
Porém, por questões de orgulho próprio e frescura aguda, só sigo quem me segue q E quem sigo visito sempre... Enfim, se vc for no meu blog gostar e tal, segue tá?
Bjs

Ps- To fazendo uma promoção no blog ;P Tá no "all pink", confere lá..

Ps²- Sempre quis ser professora mas tenho PÂNICO do assunto!

JPM disse...

Olá,
Estrela da manhã, é isto?
Professor, policial, gari,... tudo é exploração pura.
Desculpem, o que muitos chamam de sacerdócio, vocação, em geral, é apenas por falta de opção.
Quantos milhões de desempregados há no Brasil? Sem contar sacoleiros e camelôs, tudo subemprego!
O desemprego mantém os salários nesses valores indignos que são pagos.
O magistério paga mal por quê?
É só qualquer escola, prefeitura ou estado abrir contratações ou concurso aparecem milhares... por mera falta de opção.
A escola pública é negligenciada por quê?
Fosse ela abundante em vagas para alunos, sem carências de material e professores, quem pagaria caras mensalidades na escola privada?
A respeito da deficiência dos serviços públicos tem artigo meu em www.soartigos.com (literatura ou sociedade...)
Saúde e felicidade.
João Pedro Metz

Sylvio de Alencar. disse...

a tempos que não aparecia por aqui.
Vendo vc falar acende uma luz, sinto carinho por professores.
De fato não é para qualquer um.

Abrçs.

Carol Lina disse...

Hahaha...
Por favor envie este texto aos pais dos meus alunos. Eu sei que meus cabelos brancos têm nome: Alice, Pedro, Glória, Maria...

Mudando de assunto, tenho uma surpresinha pra você no meu blog. Se vai gostar, não sei. Leia o último post.
Bjs

Re Fagundes disse...

Acho que seu coração vai saber a resposta no devido tempo..não se angustie demais.

Engraçado que cada um foca o que lhe convém né? Vc falando de preferir cidades pequenas..moro em uma [interior de Minas]...amooooo..não troco por nada :D

beijos cintilantes

Ps. adoro suas visinhas rápidas no meu cantinho...rs