quarta-feira, 9 de março de 2011

Mas as pessoas? Pequenas demais.

.
Confesso que tenho sublimado minhas razões de choro. Não quero que ninguém saiba o real motivo. Ao menos não minha mãe ou minha irmã. Prefiro mentir pra elas e dar-lhes razões que elas podem ao menos pensar em maneiras de me ajudar.
Não há nada que elas possam fazer.
Meu choro é falta de alguém quem elas não podem me trazer.
É dor de um dia que já passou e elas não podem mudar.

Esperei pela minha formatura como um apostador da lotto. Esperançosa, sabendo que meu dia chegaria, e secretamente torcendo pra que ele chegasse, mas sabendo, que na verdade, meu bilhete nunca seria o premiado.
Foram oito anos de aulas. Nove anos separaram o vestibular daquele dia lindo em que o reitor colocou o capelo na minha cabeça.
A frase é clichê mas verdadeira, quando eu digo que só eu sei o quanto eu chorei. Ok, nem tão verdadeira assim, algumas pessoas também sabem.

E não ver essas pessoas lá me faz chorar a dez dias.
Algumas pessoas moram longe,
outras por suas razões pessoais não foram.
Mas tem sempre aquela meia duzia de pessoa que você conta junto com você mesmo. Pois sabe que estarão lá. São parte da sua vida, parte de quem você é. Eles estarão lá.

Mas não estavam.

E me dói tanto.
Tenho repensado minha vida, de uma maneira que é cruel impor-se alguém a pensar.
Eu sou odiosa?
Eu sou asquerosa?
Eu sou o tipo de pessoa que não queremos estar junto na hora de celebrar?
Que que tem de tão errado na minha personalidade que faz as pessoas não querem viver comigo esse momento, que pra mim, só será superado pelo dia que eu tiver um bebê.
Porra,
foram oito anos,
eles sabiam o quanto era importante pra mim.
Eu passei o ultimo ano sá falando de formatura.
Eu posso perdoar a todos,
Mas não aos dois.
Nada podia ser maior que o carinho que eles sentem por mim (ok, mãe morta super podia) porque nada é maior que o carinho que eu sinto por eles.
E no momento, nada é maior que a mágoa que eles me infringiram.

Em algum lugar li uma dessas frases de caderno de recordações,
"contruimos pequenos sonhos em cima de grandes pessoas, mas com o tempo percebemos que grandes mesmo eram os sonhos, mas as pessoas, pequenas demais"
e fico pensando,
o sonho?
era só um sonho comum, que outros realizam tão mais facilmente, que era mesmo grande pra mim,
mas as pessoas,
não
nao são pequenas demais.
São pessoas lindas, que amo, e que jamais eu esperaria que fossem algo maiores, porque são do mais lindo coração...


Só que talvez eles tenham já a muito tempo me amputado dos seus corações,
só eu que não percebi.

Um comentário:

gustavo ricci disse...

Poxa... Falta de consideração é algo bem triste. =/
Pessoas entram e saem da nossa vida, basta saber filtrar o que foi bom.