quarta-feira, 3 de junho de 2009

A coragem que me falta

Quero coragem pra cometer meus erros sem medo
Quero coragem pra ter medo de cometer os mesmos erros

Quero coragem pra montar táticas de ataque aos meus inimigos
Quero coragem pra destruir minhas defesas

Quero coragem pra mudar o mundo
Quero coragem pra me acomodar no sofá

Quero coragem pra suspender jardins por um amor
Quero coragem pra arrancar um amor de dentro de mim

Quero coragem pra seguir as regras
Quero coragem pra abusar da licença poética

Quero coragem pra manter vivos os meus ideais
Quero coragem pra me reinventar

Quero coragem pra dizer tudo que me dá vontade
Quero coragem pra maquiar minhas discordâncias

Quero coragem pra correr atrás do tempo
Quero coragem pra dar uma pausa

Quero coragem pra reconhecer os meus defeitos
Quero coragem pra mantê-los bem trancados

Quero coragem pra ser responsável
Quero coragem pra esquecer todas as minhas obrigações

Quero coragem pra fazer minhas caminhadas matinais
Quero coragem pra ficar na cama até cansar

Quero coragem pra ajudar alguém
Quero coragem pra assumir meu egoismo

Quero coragem pra começar um novo regime
Quero coragem pra comer sem culpa

Quero coragem pra superar meus traumas
Quero coragem pra me esconder neles

Quero coragem pra sentir inveja

Quero coragem pra elogiar alguém

Quero coragem pra enxergar minha limitações
Quero coragem pra quebrar as barreiras

Quero coragem pra me apoiar em alguém
Quero coragem pra ser independente

Quero coragem pra lutar incessantemente
Quero coragem pra desistir da guerra

Quero coragem pra entender essa contradição que é a vida.

11 comentários:

Maris Morgenstern disse...

IT's back

Maris Morgenstern disse...

MARAVILHOSO

minha parte preferida:
quero coragem pra elogiar alguem
quero coragem pra sentir inveja...

...

quero coragem pra superar meus traumas
quero coragem pra me esconder neles.

brilhantemente vc descreveu q pra tudo é preciso.
q tudo q fazemos é uma decisao q tomamos,
até a decisao de ficar inerte.


love u

Hellen ^^ disse...

é injustiça sua Bruna, dizer que eu tenho que comentar.... quando o seu texto fala comigo, cala a minha boca e tudo o que consigo dizer é "SEM COMENTÁRIOS"

Francisco disse...

Bruninha!
Hoje você escreveu por mim.
Estou necessitando urgentemente dessa coragem toda!
Vamos ver se a gente consegue?
O primeiro que conseguir avisa o outro, tá?
Um beijão!

Maris Morgenstern disse...

opa, to nessa também feito.
eu pessoalmente quero coragem pra perguntar o que já sei, e coragem pra fingir que não há nada a se saber...

Carol disse...

Adoro o fato de vocês escreverem diariamente!
E adoro mais ainda o conteúdo...
bjs

Paula disse...

Querida, que belo texto!! Vc tem uma alma de escritora muito especial! Nossa!

vinicius disse...

˙¡ʇsod oɯıxóɹd olǝd oɹǝdsǝ


˙ɯoq oʇınɯ˙˙˙opuǝl ɐı ǝnb ossɐd oɐ ɹıʇǝlɟǝɹ zǝɟ ǝɯ

¡¡¡oɯıʇo

Paula disse...

Estou passando para avisar que tem selinhos para você lá no meu blog, porque eu ADORO vir aqui!
Eee! Beijão!

Paula disse...

hehehe, eu ja sofri bastante com essas regras virtuais meio estranhas ...rs, não se preocupe...
as regras não são minhas, mas vc deveria postar sobre os selos, como eu fiz, responder o quizz para o primeiro selo, e indicar para quem vc indica. em tese seriam 5 indicações para cada selo, mas é uma das regras que eu não sigo nunca...sempre indico para todos os blogs que gosto mto!!
beijo!

Silvia Gonçalves disse...

Puxa Bruninha..

Tens razão.. o texto é bem parecido...

Acho que é mais isto que o Juliano comentou no meu post.. o corpo se acostuma e não reage.. é uma questão de comodismo...

Precisamo vencer as barreiras e lutar contra eles.. né??

Mas é tudo tão didfícil!!>....r.s.

Bjinhos