segunda-feira, 15 de junho de 2009

Santzabé

Santzabé mudou minha vida, tá, se não minha vida ao menos esse meu final de semestre. Sabe aquele cansaço impregnado que nada tira? Santzabé tirou.
E aquele sono que pesa os olhos da hora de acordar até a hora de dormir? Santzabé também resolveu. E aquele pescoço travado que nada resolve? Santzabé resolveu.
Ai ontem voltando de Santzabé, eu estava olhando pela janela do onibus e pensando o quando eu gosto da noite. Gosto mesmo, gosto demais.
Gosto das sombras, das formas que se misturam, gosto de não saber se aquilo é uma casinha de cachorro ou uma inalguração de trevo do tempo que o Alvaro Dias era governador. Gosto de não saber se estou indo ou voltando.
Gosto demais da pouca luz pelas folhas das árvores. Gosto de imaginar que se eu entendesse de estrelas eu poderia me guiar por elas. Gosto, aliás, me encanta que a noite as coisas não se parecem com o que são e tudo fica maior, mais assustador, mais sei lá, sombrio não é a palavra. Mas sabe aquela sensação de frio na barriga quando você vê algo novo e se pega a pensar o que é aquilo, se enche de coragem e vai. E descobre que era apenas uma caixa amassada.
Pois eu gosto disso tudo. O dia me cansa. As coisas claras me cansam, me cansa o óbvio, aquilo que é só bater o olho você já sabe o que é. Gosto de descobrir, explorar.
Ai o Vini desligou o telefone,
e tivemos uma conversa existencial.
e outra sobre depilação.

5 comentários:

Francisco disse...

O texto é tão perfeito e "vivo", que me senti dentro do onibus, te observando olhar pela janela.
Muito bom, mesmo!
E quanto à depilação, chegaram à uma conclusão do que sai e do que fica? KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
Um beijão!

Denise disse...

Putz.

Quero tb ir pra esse lugar ai.
Ando precisada desse frio na barriga e dessa incerteza das sombras.

LINDO demais...linda vc tb

beijo

De

Paula disse...

fico mesmo aqui imaginando a loucura dessa conversa...cativante seu texto, mto mto mto cativante
beijo querida, boa quarta!

Maris Morgenstern disse...

eu preciso dizer q hoje esses elogios foram muito bem vindos ao ego...

DANIZINHA disse...

De fato, sua crônica me leva a pensar em noite.
Me gusta la noche.... seus encantos desencantados e formas desfiguradas. Um quê de magia....bohemia....pianos, flautas, vinho... sem flores, só espinho...um caminho, cabaré de amores..
Visite meu blog: será um prazer receber sua visita:
http://divalosofando.blogspot.com/