terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Sigilo médico-paciente

.
-Olha só, sua pressão sanguinea está normal.
-E o que isso quer dizer, doutor?
-Quer dizer que se você tiver um infarte, ou um derrame cerebral, a culpa não é da pressão sanguinea.
-Não da sanguinea né...
-Como assim?
-Ah doutor, eu começo a me fazer umas perguntas ai, e vira tudo muita pressão?
-Qual a crise dessa vez?
-O Senhor lembra aquele quadro péssimo (como se todos não o fossem) do zorra total que sempre terminava com a personagem perguntando "onde foi que eu errei"?
-Ahhan...
-Então, é isso doutor, eu fico me perguntando onde foi que eu errei, e isso está me matando.
-Esse é um joguinho perigoso...
-O senhor já jogou?
-Já.
-E já concluíu onde foi que errou?
-Fazer a faculdade de medicina!
...
?

-Não me leve a mal, mas naquela época, se você dizia que queria ser artista, é como você disse da outra vez, eu falar e o cachorro latir, dá no mesmo... Meu pai não ouviu. Fiz por obediencia, mas não reclamo não, aprendi a amar a profissão, é bom poder salvar vidas, brincar de anjo
-Não seria brincar de Deus?
-Não, é muita responsabilidade.
-Então o senhor queria ter sido artista?
-Por isso que hoje eu e minha senhora estamos aprendendo tango...
-Tango?
-Mas me conte, e você, já descobriu onde errou?
-Eu tenho três teorias, as vezes penso que errei em começar sabe, mas não gosto de pensar assim, não sou muito de destinos sabe, prefiro as viagens.
-É uma teoria bonita pra alguém que está achando que vai ter um avc de tanta pressão, quais são as outras duas?
-Numa eu penso que não devia ter brigado com o destino sabe, mas era uma queda de braço perdida, o destino tende a ser mais forte que as minhas vontades
na outra penso que devia ter brigado mais, ter ido atras, e exigido uma explicação olho no olho.
Afinal, nós nunca resistimos a um olho no olho...

7 comentários:

Francisco disse...

"...não sou muito de destinos, sabe. Prefiro as viagens."

Putz...Sabe quando algo cola na mente? Pois é... Sou assim também, prefiro as viagens.

Beijos!

Carol disse...

Eita!
Citando uma amiga que citou um professor que citou Schopenhauer: "O homem tem duas chances de ser feliz: não nascendo ou morrendo logo após nascer".
Aff.. que deprê!

Agora, amém, que Deus te ouça, que assim seja! Que eu cubra os jogos na África! hahaha
Bjsssss

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Maris, essas "elocubrações" suas ajudam muito nossa reflexão. Parece brincadeira, mas esse :"Onde eu errei" é terrível. Se der para dar um jeito, ótimo. Se não der a gente se conforma e com um pouco de luta, pelo menos, liga o ar condicionado.
Beijos acertados. Manoel.

Sylvio de Alencar. disse...

Começo pensando como vc:
acho que devo brigar mais. Mas minhas razões para esse 'brigar mais' são outras:
deveria me atirar, entrar 'no clima', percorrer, o caminho do ser o que acredito que me levará à uma sapiência igual as dos gurus que estão felizes e conscientes (com Deus) de suas vidas, de seus atos, de suas compreensões. Da vida.

Mas, acho que sou preguiçoso, meio besta...

Ser o que sou as vezes me dá um pouco de medo, como se pudesse me ferrar naquela esquina - mas, não há razão pra me ferrar!!!, mesmo assim fico preocupado pois me parece que só há hum caminho...: o do espírito.
Deixo as coisas como estão, pois sei que eslas estão certas por causa da perfeição que é a vida.
Na verdade, somos o que queremos ser. Parece uma afirmação exagerada (poucos acreditam nela), mas é isso que é.
como muitas coisas são o que são (tudo na verdade), fico aqui, de boa, esperando o melhor desde que me coloque, mínimamente, amorosamente (coisa meio difícil)num estado de aprendizado.


Legal seu texto. O suficiente para me fazer falar esse monte de coisas que talvez nem caiba aqui. Apenas divaguei um pouquinho..., coisa que não mata e faz bem.

PS.: E agora, tenho link no meu blog?

Bjs

Sylvio de Alencar. disse...

Ahh! Me esqueci de concordar:
nada como um olho no outro pra esclarecer as coisas! Só que temos que ter a sabedoria de ver o que o outro olho nos diz, o que mostra - sem permitir que nossa mente interfira no que vemos, percebemos, descobrimos. Se tivermos a devida sabedoria, aceitaremos e ficaremos felizes do mesmo jeito. O importante não é bem o que o outro olho nos diz, mas sim a capacidade que descobrimos ter, para ver.

bjs.

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Maris, como eu adoro ler as postagens daquí, vou dar uma dica para você. O que está escrito nas cores: azul escuro, lilás mais escuro e vermelho escuro, não consigo enxergar no meu monitor de vídeo. O fundo preto está matando o contraste. Talvez se for escrito em negrito dê para a gente saborear essas interessantes postagens. Beijos com carinho. Manoel.

izabel disse...

legal menina, legal!
agora vou contra tudo pra meus conhecidos....
que legal!
nao quero ser objetiva esta! pela presao sanguinea sabe...