sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Sobre Brad, sobre o tempo, sobre friends, sobre nós dois

.
Ando pensando muito nessa coisa de tempo, de Karma, de amor, de Jennifer Aniston e de saudade.
Não parece, mas as coisas fazem sentido, de alguma forma.
Eu sempre achei que eu e um alguém que a muito tempo ficou só na minha história seríamos o Ross and Rachel do nosso grupo de amigos. Mas o tempo passou, e nunca fomos. Aliás o tempo passando tem mostrado que não há mesmo futuro para nós dois. Então não haverá reencontros em portões de embarque. Mas tudo bem. A vida prosseguiu, e despedidas em aeroporto são mesmo muito cafonas.
Ontem estava lendo sobre um novo filme da Jennifer Aniston e claro que em algum momento citaram que ela e Brad já foram pombinhos. Confesso que não suporto da idéia de Brad Pitt e Angelina Jolie juntos. Sempre fui do Team Jenn. Não gosto de pessoas que conseguem tudo. Isso me irrita. Porque a maioria das pessoas não vai conseguir nem metade.
Por isso gosto tanto da Jennifer Aniston, ela parece normal.
Me irrita a Angelina Jolie ter sido bad girl e agora ser embaixadora da Unicef. Não é justo com quem faz as coisas direitinho, não é justo que você tente fazer tudo do jeito certo a vida inteira e que alguém que só fodeu, resolva se redimir de uma hora pra outra e que não haja nenhum preço a ser pago.
Também não gosto de todas as outras vintemil namoradas que o Brad já teve terem podido seguir com a vida, mas a Jenn, não. Ela será sempre lembrada como a ex que ele largou pra ficar com a Miss bocão.
Assim como eu e ele. Não o cara que citei acima. ELE.
O cara que todas as vezes volta a ser o assunto.
O cara que nunca vão me perdoar. Que eu sempre serei lembrada como a que ele deixou pra bla bla bla.
Posso confessar algo?
Acho que posso né, esse blog já é praticamente só meu, a Bruna nunca mais escreveu aqui, e as vezes acho que não seremos mais amigas como éramos na época que começamos o blog. Então se o blog é só meu eu posso confessar né?!
Eu ainda gosto dele.
E isso me dói.
Dói todos os dias.
Afinal eu o vejo todos os dias. Agora em nova companhia. E isso me dói ainda mais.
Fico pensando se eu serei como a Jenn, se daqui a cinco, seis anos, ainda vão lembrar que ele me deixou pra ficar com a tia vinte anos mais velha.
Só por hoje eu aceitaria ser novamente a outra da vez. Mas aí lembro de karma, e de que nem posso ser internada em determinado hospital, porque a tia trabalha lá, e karma né, certeza que ela seria minha enfermeira e eu saíria de lá muito pior que entrei. Imagina se eu recomeçasse o que a vida em um ano ainda não desfez em meu coração.
Ou não né.
Veja a Angelina Jolie, fez e aconteceu. Bebeu, fumou, cheirou, lambeu e raspou com os dentes tudo que se pode usar. E hoje, ao lado do ex-da Jenn desfila sua meia duzia de filhos. (odeio ela ter filhos)
Talvez o mundo seja mesmo de quem tá nem aí pras regras

4 comentários:

wcastanheira disse...

Não tenha ódio, apenas despreze, ignore não dê valor a uma pessoa q realmente usa apenas e tão sómente o poder do dinheiro para a parentar q vive, bela postagem gostei amiga, pra vc bjos, bjos e bjossssssss

Celamar Maione disse...

O mundo não é justo. Mas não cabe a mim explicar o motivo.
Bem, quando ao Brad e a Jolie nada posso dizer. Com relação a você, digo apenas : Tudo passa. Com certeza !!

Bj

Celamar Maione disse...

Digo : " Quanto"..

Blog do Óbvio - Manoel disse...

Maris, gostei de sua tomada de posse no blog. Ele sempre teve a "sua cara". Muito legal.
Não se preocupe com a Jolie. A situação dela explica pra gente o famoso "Os últimos serão os primeiros". Não é mesmo?
Quanto a você, curta a sua alegria e de tempo ao tempo.
Beijocas carinhosas.
Manoel.