sábado, 12 de setembro de 2009

gastações

Será que os homens tem noção do quanto eles nos fazem gastar?
Tipo, coisas simplissimas como o fato de que com o fim disso tudo eu não tenho vontade de usar os mesmos esmaltes, e lá vou eu pra farmácia renovar os esmaltes. Ah, sei lá precisava de algo mais, aliás, de algo menos... menos feliz, menos apaixonada (...) menos vermelho.
E troquei os lindos "beijo", "pura luxuria" e "tinto" por "chá gelado", "renda" e "fada".
Mais que a minha vontade de falar sobre os nomes dos meus esmaltes, está a importancia dessa troca colorística. Hoje nem o rosinha saudável do "fada" caberia, só a palidez de "chá gelado" é capaz de transpor pras minhas unhas como anda meu coração.
Aos poucos a maquiagem (essa permanece forte pra esconder as olheiras), as roupas, e até os allstar, tudo ficará mais pálido, mais naquele tom pastel de quem sente que fez o que devia, mas não o que queria.
E, mais uma vez lá se vão os poucos reais que me restam em gastações motivadas por homens que não entendem a diferença de risqué pra colorama.

4 comentários:

Francisco disse...

Marisita! Marisita!
Que existem homens que não sabem a diferença de Risqué ou Colorama, é verdade! Mas sabem reconhecer cores que embelezam as lindas unhinhas!
Se não estiverem pintadas, tudo bem! Só não esquece o "All Star", viu? rsrsrs
Beijõezões coloridos!! rsrs

Cafeína Desvairada disse...

O homem que não entende é insensível. O homem que entende é "bicha". O homem que se importa é grudento. O homem que não liga é burro. O homem que usa Colorama vai preferir Impala quando conhecer a coleção nova que tem a cor Pistache. O homem que é pão-duro, vai comprar o esmalte Love, que tem secagem rápida e é 80 cents o vidrinho. Mas, no final disso tudo, a mulher sabe bem se comunicar dentro da sua suposta "futilidade". Um beijo!

Paula disse...

Hehehehe! Com certeza, eles não têm essa dimensão (permanente) que causam sensações, instintos assassinos, e mudanças temperamentais em nossos corpos e corações...
Mas veja, ciência é poder? Será que não é melhor deixá-los na mais completa ignorância?
Beijos querida!

Maris Morgenstern disse...

hummm.
ciencia é poder...
essa foi profunda.
vou por na lista junto com
ignorancia é felicidade